Brasil defende agro sustentável na COP 26

Começa neste domingo, 31 de outubro, em Glasgow, na Escócia, a 26a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas.

Para a equipe de pesquisadores do CiCarne, a COP26 será muito importante para a pecuária mundial, lembrando que a agropecuária é uma das atividades mais afetadas pelos efeitos das mudanças climáticas.

Os pesquisadores afirmam que há dificuldades na adoção de tecnologias que permitam o desenvolvimento, em escala, dos sistemas produtivos descarbonizantes no Brasil. E acrescentam a necessidade de um melhor preparo em gestão e inteligência de negócio por parte do pecuarista brasileiro. “Afinal, há uma grande parcela que, ainda, precisa ser preparada para a nova onda de desenvolvimento da pecuária – tecnificada, intensiva, de ciclo curto, com baixa emissão de GEE e cada vez mais digital.

Essa nova onda caracteriza-se pela complexidade do seu gerenciamento, especialmente em sistemas integrados, o que demandará cada vez mais capacitação gerencial. “Reverberamos que a COP26 será uma excelente oportunidade para a pecuária brasileira reverter a imagem negativa, em termos ambientais, que o setor possui no exterior. Precisamos comunicar eficientemente que somos uma das pecuárias mais produtivas, inovadoras e descarbonizantes do mundo” (Boletim CiCarne nº 51 – 10/2021).

A COP26 é o prazo final para que os países apresentem seus planos de redução de emissões de gases do efeito estufa.

Juntos, estes planos precisam colocar o mundo no caminho certo para deter o aumento da temperatura global de mais de 1,5ºC até o final do século.

Serão duas semanas de negociações e debates entre membros representantes de 196 países.

O Brasil vai demonstrar e defender a sustentabilidade do seu agronegócio.

Vale a pena acompanhar.