A cadeia e seus segmentos

    A cadeia produtiva de carne bovina é um conjunto de componentes interativos, com diferentes sistemas produtivos, fornecedores de serviços e insumos, indústrias de processamento e transformação, distribuição e comercialização de produtos e subprodutos e seus respectivos consumidores finais.

    O processo de produção de carne tem início no setor de insumos, que representa as empresas de bens e serviços na área de nutrição, manejo, genética e sanidade. Em seguida, tem-se os setores produtivos, que reúnem as unidades de produção fornecedoras das matérias-primas iniciais.

   Os frigoríficos, responsáveis pelo avanço do produto final em direção ao consumidor, por meio da distribuição para o segmento de varejo, transformam a matéria–prima em produto acabado.  A missão desse segmento é disponibilizar a carne bovina, de forma apresentável, higiênica e em formato útil ao consumidor. Para que este sistema funcione perfeitamente existem alguns elementos de apoio que são essenciais, pois são responsáveis pelo fluxo financeiro e de informações.

    O conjunto de agentes que compõe a cadeia produtiva da pecuária de corte brasileira apresenta grande heterogeneidade: de pecuaristas altamente capitalizados a pequenos produtores empobrecidos; de frigoríficos com alto padrão tecnológico, capazes de atender a uma exigente demanda externa, a abatedouros que dificilmente preenchem requisitos mínimos da legislação sanitária.

    Parte disso é fruto do ambiente institucional no qual essa cadeia se insere. Aspectos ligados ao comércio exterior, à evolução macroeconômica, à inspeção, à legislação e à fiscalização sanitárias, disponibilidade e confiabilidade de informações estatísticas, legislação ambiental, mecanismos de rastreabilidade e certificação, sistemas de inovação, entre outros, condicionam fortemente a competitividade dessa cadeia agroindustrial.